Apoio Contato Promoções Matérias Especiais Programação A Rádio Home


Megadeth: agentes dizem que o novo álbum soa como o “sucessor perfeito de “Dystopia”

junho 2nd, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 6 views

No último sábado, 30 de maio, Ellefson concedeu uma entrevista ao podcast Rockin’ Metal Revival, e falou sobre o tão aguardado próximo álbum do Megadeth, que sucederá o premiado Dystopia, de 2016.

“Bem, estávamos programados para estar em estúdio no final de março, gravando o novo álbum. Primariamente está composto. Pronto para ser lançado. Então, quando as coisas começaram a se fechar (devido à pandemia), tudo teve que ser adiado. Então, agora estamos reagendados para entrar em estúdio – Particularmente eu e nosso baterista, Dirk (Verbeuren), para concluir as trilhas de baixo e bateria. A partir daí, continuaremos a construir as músicas no estúdio. Mas as músicas estão lá. Estão em movimento. Levou os últimos três anos para ser composto, mas é ótimo!”, explicou o baixista.

“Odeio parecer arrogante e falar muito sobre isso (o álbum) até que seja lançado, porque ainda está em uma fase formativa, mas estamos muito felizes com ele”, afirmou. “Nossos agentes estão muito felizes com o material, o santuário interno de nossa pequena equipe, a qual deixamos analisá-lo, todo mundo está feliz. Eles acham totalmente que é um sucessor perfeito para Dystopia”.

O 16° álbum de estúdio do Megadeth está sendo gravado em Franklin, no Tennessee (EUA), com Dave Mustaine na produção, auxiliado por Chris Rakestraw, que já havia trabalhado em Dystopia. Será o segundo álbum com Kiko Loureiro na guitarra, porém o primeiro com o baterista belga Dirk Verbeuren (Cadaver, ex-Soilwork), que entrou no Megadeth em 2016, no lugar de Chris Adler, que voltou para o Lamb of God, mas que hoje não faz mais parte da banda.

Share |

Helloween: adia tournê europeia e lançamento do novo álbum para 2021

junho 1st, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 11 views

A turnê europeia “United Alive World Tour Part II”, que o Helloween faria em setembro, foi adiada, e deve acontecer de abril à junho de 2021. A notícia foi dada pela própria banda em suas redes sociais:

“Com o coração pesado anunciamos que somos forçados a adiar a nossa turnê européia “United Alive World Tour Part 2” de 2020. Inicialmente agendada para o final de setembro até meados de novembro de 2020, agora reagendamos a turnê de abril a junho de 2021. Os ingressos permanecerão válidos. Isso nunca foi visto antes, como a pandemia desafia todos nós, e sentimos que o risco de uma contaminação ainda é muito alto. Além disso, os regulamentos nacionais de cada país tornam a execução da turnê muito incerta”.

Além da turnê, o lançamento do novo disco também sofreu mudanças com a pandemia:

“Um show no Helloween deve ser um encontro de todos os fãs se divertindo, comemorando a música que todos amamos. A situação atual em todo o mundo ainda não permite que façamos isso de uma maneira despreocupada. Também decidimos mudar o lançamento do nosso novo álbum, ainda sem título até o início do próximo ano. A produção está em andamento: a mixagem é de Ronald Prent em Nova York, e ele está trabalhando ao máximo”.

Share |

Exodus: Gary Holt está compondo para o próximo álbum da banda

junho 1st, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 20 views

O guitarrista do Exodus, Gary Holt, disse em um post em seu Instagram pessoal que está criando riffs esmagadores para o próximo álbum da banda. O primeiro depois de “Blood in Blood Out”, lançado em 2014.

“Novos riffs oficiais do Exodus estão saindo hoje, e se eu não me importo em dizer isso, estão esmagadores!!! Super empolgado!!! Mal posso esperar para nos reunirmos e começar a tocar esses monstros! “

O vocalista do Exodus, Steve “Zetro” Souza, confirmou que Gary tinha testado positivo para Covid-19, e que a doença obviamente o atrapalhou o processo de composição desse novo disco:

“Gary tem muitos riffs e muitas coisas que ele precisa montar. Começa com ele e Tom Hunting na bateria, basicamente. Todo mundo sabe, baterista e guitarrista, e é assim que a Exodus sempre fez isso. Mas por causa do distanciamento, isso é meio impossível de fazer, então atrapalhou, mas eu garanto que ouvi algumas das coisas com as quais eles estavam tocando na passagem de som na turnê The Bay Strikes Back, e os fãs do Exodus ficarão muito satisfeitos. Novamente, eu não ouvi as músicas completas, apenas ouvi riffs, pedaços e coisas assim, e está realmente muito pesado”.

Share |

Bob Kulick: guitarrista e produtor morre aos 70 anos

maio 29th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 42 views

O guitarrista Bob Kulick, conhecido por trabalhos com Kiss, Paul Stanley, W.A.S.P., Meat Loaf, Doro e vários outros projetos, morreu aos 70 anos. A informação foi confirmada pelo irmão dele, o também guitarrista Bruce Kulick, ex-integrante do Kiss. A causa não foi divulgada.

“Estou com o coração partido por compartilhar a notícia da morte do meu irmão Bob Kulick. Seu amor pela música e seu talento como músico e produtor sempre devem ser celebrados. Sei que ele está em paz agora, com nossos pais tocando guitarra o mais alto possível. Por favor, respeitem a privacidade da família Kulick durante esse período triste”, disse Bruce, pelas redes sociais.

Nascido em 16 de janeiro de 1950, no Brooklyn, Nova York, Estados Unidos, Bob Kulick é notável, especialmente, por seu envolvimento em diversos momentos com o Kiss. Ainda em 1972, ele fez um teste para entrar na banda, recém-montada por Paul Stanley (vocal e guitarra), Gene Simmons (vocal e baixo) e Peter Criss (vocal e bateria). Porém, a vaga acabou ficando com Ace Frehley, que participou da audição logo após ele.

Apesar da recusa, os integrantes do Kiss mantiveram contato com Bob Kulick. Em 1978, ele gravou três das cinco músicas inéditas do álbum ao vivo “Alive II” (1977), em um período onde as relações entre os músicos da banda já sofriam desgaste. Em seguida, foi o guitarrista do álbum solo de Paul Stanley, de 1978.

No início dos anos 80, Bob teve colaborações em mais álbuns do Kiss, como “Unmasked” (1980), “Killers” (1982, coletânea, porém nas faixas inéditas) e “Creatures of the Night” (1982). Já em 1984, o irmão de Bob, Bruce Kulick, entrou como membro fixo da banda, posto que ocupou até 1995. No fim da década, em 1989, voltou a trabalhar com Stanley em uma turnê solo do músico.

Bob Kulick também teve uma longa trajetória musical ao lado de Meat Loaf, participando de vários álbuns e turnês do cantor, com destaque a “Bad Attitude” (1984). Trabalhou, ainda, como músico de estúdio do W.A.S.P., tocando nos discos “The Crimson Idol” (1992) e “Still Not Black Enough” (1995).

Entre outros artistas e bandas com os quais Bob trabalhou, estão Lou Reed (“Coney Island Baby” – 1975), Michael Bolton (“Michael Bolton” – 1983), Diana Ross (“Mirror Mirror” – 1981), Doro (“Calling The Wild” – 2000), Tim Ripper Owens (“Play My Game” – 2010) e mais. Teve, ainda, grupos como o Blackthorne, Balance e Skull.

Nos últimos anos, o músico estava mais dedicado à atuação como produtor. Trabalhou em diversos tributos a bandas como Aerosmith, Queen, Shania Twain e Iron Maiden, entre outros – sempre no formato “all-star”, onde convidava uma série de artistas famosos para participar. Porém, chegou a lançar um álbum solo em 2017, intitulado “Skeletons in the Closet”.

As notícias mais recentes de Bob Kulick datavam de novembro de 2019, quando o guitarrista criticou o próprio irmão, Bruce, além do Kiss, por venderem itens de merchandising usando o nome e a imagem dele sem autorização. De acordo com Bob, os produtos estavam sendo comercializados pela Kiss Army Merchandise com permissão apenas de Bruce.

Bob chegou a revelar, pelas redes, que que Bruce conseguiu, recentemente, uma ordem de restrição contra ele. “Isso é infração de direitos autorais e indica a todos vocês sobre como meu irmão traíra Bruce está envolvido. [...] Os culpados são: Keith LeRoux (consultor), Bruce Kulick (que agora conseguiu uma ordem de restrição contra mim), Paul Stanley, Gene Simmons e Doc McGhee (empresário). Saiba que essas pessoas são desonestas, não são como os artistas honoráveis que produzi, como Ronnie James Dio e Lemmy (Motörhead)”, afirmou.

Share |

Knotfest: shows de Slipknot, Underoath e Code Orange serão transmitidos nesta sexta (29)

maio 29th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 23 views

O Slipknot anunciou a realização de uma edição online do festival Knotfest. Apresentações deles, do Underoath e Code Orange, as três bandas que iriam girar pela América do Norte neste ano, serão transmitidas nesta sexta-feira (29), a partir das 19h (horário de Brasília), no site oficial do evento, Knotfest.com.

O show do Slipknot a ser exibido foi o realizado no festival Graspop, na Bélgica, em 2019. Na época, a banda estava para lançar seu novo álbum, “We Are Not Your Kind”, e tocou algumas músicas do disco.

Já o Underoath terá um show de 2016 transmitido, no Brooklyn Bowl, em Las Vegas. A stream contará, ainda, com uma entrevista com o vocalista da banda, Spencer Chamberlain.

Com relação ao Code Orange, a performance a ser exibida é a “Last Ones Left: In Fear Of The End”, realizada sem plateia em março deste ano. O vocalista e baterista Jami Morgan também conversará com os fãs.

 

Share |

Pearl Jam: banda tocará em evento online beneficente em junho

maio 29th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 5 views

O Pearl Jam foi confirmado entre as atrações que vão se apresentar em um evento online que arrecada fundos para a All In WA, organização sem fins lucrativos que busca auxiliar pessoas que estão sofrendo com a pandemia do novo coronavírus. Outros artistas como Ben Gibbard (Death Cab For Cutie), Dave Matthews, Brandi Carlile, Macklemore, Ciara, Russell Wilson e The Black Tones, entre outros, também vão performar.

A transmissão será realizada no dia 10 de junho, uma quarta-feira, a partir das 23h (horário de Brasília). Para conferir, basta acessar o canal da Amazon Music na plataforma de streaming Twitch.

Criada por Jay Inslee, governador do estado americano de Washington, a All In WA já arrecadou US$ 20 milhões nos últimos meses. A ideia é chegar à meta de US$ 65 milhões, renda que será distribuída a 42 fundos beneficentes distintos de todo o estado.

A All In WA conta com o apoio da Amazon e o próprio CEO da empresa, Jeff Bezos, disse que irá duplicar todas as doações que forem feitas à organização. O teto para duplicação é de US$ 25 milhões.

O vocalista Eddie Vedder participou, no último mês de abril, da transmissão “One World: Together At Home”, promovida pelo Global Citizen com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O evento online reuniu artistas como Lady Gaga, Paul McCartney, Elton John, Stevie Wonder, Billie Joe Armstrong (Green Day), Rolling Stones, Lizzo, Billie Eilish, Jennifer Lopez, entre outros.

Share |

Rob Halford: vocalista vai lançar autobiografia em setembro

maio 28th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 21 views

29 de setembro é a data de lançamento de Confess, autobiografia do lendário Rob Halford, vocalista do Judas Priest e ex-Fight e 2wo. O livro, que sairá pela Hachette Books, foi escrito com Ian Gittins, co-autor de The Heroin Diaries, de Nikki Sixx (baixista do Mötley Crüe e do Sixx A.M.), e mostrará o estilo de vida rock and roll de Halford desde o final dos anos 80 até o 50° aniversário do Judas Priest em 2020. As encomendas de Confess já podem ser feitas na Amazon.

Confess oferecerá aos leitores uma visão convincente e sincera de Halford, que enfrentou o vício e sua sexualidade. O livro irá explorar a música e assuntos controversos. Halford comentou a biografia: Confess é uma oportunidade única de expor todas as minhas facetas. Cavar fundo com nada a esconder e nada a temer foi, de muitas maneiras, emocionante, divertido, perturbador, aterrorizante e catártico. Não retive nada. Está na hora de eu ‘confessar’”, brincou.

Sarah Emsley, diretora de publicação da Headline Publishing, que adquiriu os direitos mundiais de Dave Daniel na CSA por Confess, disse: “Tenho uma verdadeira paixão por autobiografias de todos os tipos e estilos de carreiras de ícones do mundo da música e a história de Rob Halford é verdadeiramente incrível. Ao longo de sete décadas repletas de ação, o material inicial de Confess é impressionante. Mal podemos esperar para publicar o livro de Rob em todo o mundo”, vibrou.

No ano passado, Halford confirmou que, finalmente, estava trabalhando em um livro, depois de ter insistido anteriormente que nunca faria isso por causa de questões de privacidade. Em entrevista ao Ultimate Classic Rock, Halford disse que suas memórias oferecerão um olhar sincero sobre sua vida. “Não há sentido em montar um livro se você não tem divulgação completa, na minha opinião”, disse o cantor. “Desde que eu fiquei limpo e sóbrio, provavelmente fui mais honesto e sincero comigo do que nunca. Você só tem a chance de fazer uma vez e fazer corretamente. Estou animado, mas também fico apreensivo à medida que avançamos”, revelou. “Porque você não sabe o que deve incluir: ‘Devo dizer isso?’, ‘devo dizer aquilo?’. Não sei”.

Sobre os detalhes do livro, Halford comentou: “Não quero que seja uma autobiografia – quero que seja mais um livro de memórias. Vai ter muitas coisas por aí que você vai ler, tipo: ‘Oh, eu realmente não estou interessado nisso’; ‘Oh, meu Deus, nunca soube que ele fez isso!’. Mas vai fazer você se sentir feliz, vai fazer você se sentir triste. Vai fazer você se sentir com raiva, vai chocar você! Vai ter todas as coisas que acho que foram (igual) na vida da maioria das pessoas”.

Em 2015, Halford não estava tão seguro sobre compartilhar detalhes pessoais de sua vida em um livro, conforme declarou ao Brisbane Times, da Australia: “Eu sei que minha própria vida, minhas próprias exigências, têm algo em que as pessoas poderiam aprender, que realmente poderiam ajudar alguém. E que poderiam aprender que realmente poderiam ajudar alguém. E que poderia ser escrito de uma maneira que não precisa ser exploradora ou excitante. Mas sou uma pessoa privada e posso dizer agora que isso não acontecerá”.

Halford disse que o mesmo se aplica ao Judas Priest, cuja década de 1980 foi registrada em um episódio do documentário “Behind the Music”, mas que ainda não divulgou uma autobiografia oficial da banda. “Conversamos sobre isso e não estamos interessados”, disse Rob. “Parece que a única maneira de conseguir que essas coisas se mantenham é fazer com que tudo seja revelado, desenterrar toda a roupa suja. Nunca fomos atraídos pelo tabloide, pelo lado fofoqueiro das coisas; Nunca fomos desesperados por atenção, ou saímos por aí soltando o verbo como outras bandas. Estamos mais do que felizes – mais agora do que nunca – em ser Oz por trás da cortina, em não afastar esse véu e em manter nossos fãs direcionados para nossos álbuns e nossos shows”.

Share |

Thomas Gabriel Fischer: grava projeto ‘psicodélico’

maio 27th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 9 views

Thomas Gabriel Fischer promete para breve a estreia de seu novo projeto, que será “sombrio, psicodélico, groovy”, segundo sua definição. Conhecido no passado como Tom Warrior, fundador do Hellhammer e do Celtic Frost, ele garante que seu novo material é o melhor que já compôs em sua carreira.

“Eu estava com o Pidi (Leuenberger, baterista) em um projeto chamado Niryth, mas nós saímos. Porém, temos material no qual trabalhamos por mais de um ano, cheguei a gravar esse material para meu próprio selo, ou seja, eu financiei tudo. É um material muito bom, muito forte, com algumas das melhores composições que já fiz em minha carreira”, disse o velho Tom ao site Metal Wani. “Conversei com o pessoal da Nuclear Blast Records, vamos mudar algumas coisinhas, gravar mais três músicas e lançar um novo álbum, como uma nova banda, no fim deste ano.”

Por conta de sua saída do projeto anterior, músico suíço não quis batizar o novo grupo como Niryth. “Deixamos o nome para quem ficou lá, queremos começar algo do zero com esse material novo, será uma banda totalmente nova”, disse ele, que ainda não divulgou publicamente qual será o nome do grupo.

Thomas Gabriel Fischer diz que é difícil descrever o novo material composto: “É uma música muito sombria, mas não é heavy metal, nem doom. É pesado, é groovy, mas também é bem psicodélico, muitas vezes flertando com Pink Floyd, só que sombrio e hipnótico.”

Share |

Doro: fará o primeiro grande show de Metal no formato drive-in

maio 24th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 32 views

A banda Doro, da vocalista Doro Pesch, será o primeiro nome mais conhecido do Heavy Metal como um todo a fazer um show no formato drive-in. O modelo tem sido adotado em diversos locais durante a pandemia do novo coronavírus, com o intuito de oferecer apresentações sem provocar aglomerações ou desrespeitar recomendações das autoridades da saúde.

A novidade foi anunciada pelas redes sociais da cantora. “Queridos fãs, não temos muitas opções para tocar ao vivo no momento. Então, por que não tirar o melhor disso e tocar em um cinema drive-in?”, afirma, inicialmente.

A publicação completa: “Gostamos muito dessa ideia e vamos detonar com vocês no Bottrop (cidade da Alemanha), no Autokino am Moviepark Germany, no dia 28 de junho”.

Os ingressos já estão à venda em uma página online e podem ser adquiridos por 99 euros (cerca de R$ 600, na cotação atual e em transação direta). Doro segue promovendo o álbum “Forever Warriors, Forever United”, lançado em 2018.

Nas últimas semanas, artistas de diversos países adotaram o modelo de shows em formato drive-in. Países como Dinamarca, Noruega e Alemanha já contam com eventos em que os fãs ficam dentro de seus carros. Outra alternativa, bastante adotada no Brasil, é a performance musical transmitida virtualmente por meio de lives, seja em redes sociais ou no YouTube.

Share |

Testament: banda cogita fazer shows on-line para gerar receitas

maio 24th, 2020 admin Posted in Notícias No Comments » 8 views

A crise causada pelo coronavírus atingiu várias pessoas ao redor do mundo. Até mesmo as grandes bandas de Heavy Metal foram atingidas pelos efeitos da pandemia. Apesar de ser um gigante do Thrash, o Testament também foi afetado, em virtude do cancelamento de shows que a banda realizaria e eventualmente poderia realizar.

O guitarrista Eric Peterson conversou com Alex Stojanovic, do site Metal Master Kingdom e falou sobre as estratégias da banda para tentar gerar receita durante este tempo em que os músicos estão parados. Uma das soluções cogitadas pelo músico é o que muitas bandas e artistas estão fazendo: apresentações on-line.

“Antes disso acontecer, as vendas de discos já eram nulas (…) É bem assustador. Estou apenas confiando agora – espero que nós saiamos disso mais cedo ou mais tarde. Todo mundo está tentando se reinventar e fazer muitas coisas on-line. Estamos pensando em algumas coisas para fazer – talvez fazer algum tipo de concerto on-line, com toda a nossa configuração de palco, apenas percorrer o cenário algumas vezes com toda a nossa produção. E conversamos sobre isso. E depois, talvez doando parte disso para uma causa, e também tentando talvez pagar algumas contas. Então algumas pessoas disseram: ‘Bem, vocês deveriam fazer isso de graça.’ Então, nós estamos tipo, ‘Ok. O que fazemos?’ “, disse Eric.

Em outro ponto da conversa, Eric falou sobre a possibilidade da banda voltar a se apresentar ao ar livre. As previsões não são das mais otimistas, como era de se imaginar: “…Estão dizendo que em 2021, mas isso também é o medo de todo mundo não saber o que está acontecendo. Eu sei que as coisas estão começando a se abrir aqui e no mundo, e teremos que esperar mais um mês para ver como isso funciona”, finalizou.

O Testament excursionou pela Europa ao lado de Death Angel e Exodus, na tour “The Bay Strikes Back 2020″, que terminou em março. Após o fim da turnê, membros das três bandas testaram positivo para o coronavírus. Felizmente, ninguém sofreu consequências mais sérias.

O mais recente disco de estúdio do Testament, “Titans Of Creation”, foi lançado em 3 de abril. Em virtude da pandemia, a banda ainda não conseguiu fazer shows para divulgar o álbum.

Share |