Apoio Contato Promoções Matérias Especiais Programação A Rádio Home


Kiss: turnê de despedida terá ex-integrantes?

Postado em setembro 27th, 2018 @ 8:57 | 96 views

Share |

O Kiss anunciou, recentemente, que a sua próxima turnê será a última. Chamada “End Of The Road”, a tour terá início em 2019 e não tem previsão para acabar – as datas ainda não foram anunciadas.

Desde o anúncio da turnê, especulou-se que ex-integrantes do Kiss poderiam participar da turnê. E, em entrevista ao podcast “Rolling Stone Music Now” (transcrição via Blabbermouth), o vocalista e guitarrista Paul Stanley falou sobre o assunto.

“Não posso dizer. Será uma celebração do Kiss e não de alguma formação ou membro individual. Eu não descartaria nada, mas não é o ponto principal do que estamos fazendo. E eu não estou sendo evasivo. Não quero enganar ninguém, mas, realmente, não pensamos nisso até agora”, disse.

Stanley explicou que, no momento, o Kiss tem focado em outros pontos da turnê. “A maior parte do tempo tem sido destinada a decidir como será o palco, como será o show e, na verdade, estamos no meio do processo de ‘brincar’ com os repertórios”, afirmou.

Paul também comentou sobres as críticas que tem recebido por sua performance vocal ao longo dos últimos anos. Stanley também fez comentários a respeito das piadas que seu colega de banda, o baixista e também vocalista Gene Simmons, fez a respeito de seus problemas na voz.

Durante shows solo realizados na Austrália, Gene Simmons tirou sarro das falhas vocais de Paul Stanley durante em shows do Kiss. Ao convidar funcionários de sua equipe para cantar uma música em cima do palco, Simmons disse: “Precisamos de uma ajuda, no entanto. Não conseguimos cantar a música por nós mesmos porque tenho 69 anos e perdi minha voz!”.

Na entrevista, Paul Stanley procurou não repetir o tom de provocação de Gene Simmons e disse que o colega está apenas se divertindo. “Veja, Gene e eu estamos junto há cerca de 47 anos. Ele está por aí se divertindo. Ele está fazendo esses shows – em maioria gratuitos e quando ele cobra ingressos, não vende muito – e estou certo de que ele está tentando manter um tom leve para as 200 pessoas ou algo do tipo. E isso é ótimo! Estou com Gene há muito tempo e temos um vínculo invejável”, afirmou.

Em seguida, Stanley reconheceu que, estando com 66 anos, sua performance vocal não poderia ser comparável à de décadas atrás. “Todo cantor que conheço, provavelmente, a primeira coisa que falamos um ao outro é: ‘está ficando cada vez mais difícil para você?’. Estou trabalhando muito para ter certeza de que minha voz está em ótima forma, mas se você quiser me ouvir como eu soava no ‘Alive!’ (disco de 1975), então, coloque o ‘Alive!’ para tocar”, disse.

Paul Stanley também explicou por que os fãs devem acreditar que a turnê “End Of The Road”, anunciada pelo Kiss recentemente, será, de fato, a última da banda. A dúvida existe porque o grupo já fez uma tour de despedida – a “Farewell Tour” – entre os anos de 2000 e 2001, mas acabou retomando as atividades em seguida.

“A turnê de despedida aconteceu há 19 anos. A turnê de despedida foi no fim do tempo em que trouxemos de volta dois integrantes originais (o guitarrista Ace Frehley e o baterista Peter Criss) e foi um trabalho tão penoso, difícil e infeliz que parecia algo como: ‘vamos parar por aqui’”, explicou, inicialmente.

Stanley disse que percebeu, ao fim da turnê, que seria melhor dispensar Frehley e Criss em vez de acabar com a banda. “Após a turnê acabar, não demorou muito para que eu percebesse que não queria dizer adeus à banda. Eu queria dizer adeus a dois membros. Então, essa é a diferença. Tivemos 19 anos de banda. Nunca estivemos tão bem e felizes. No entanto, com tudo isso em mente, está na hora de pensar em um fim”, afirmou.

Deixe seu comentário


Os comentários são postados usando logins do FACEBOOK, HOTMAIL, AOL ou YAHOO